30 de mai de 2012

Refletindo



Viajo por um mundo tão perto e tão longe.

Viajo pra dentro, procuro descobrir o incerto, o desconhecido, o que restou e o que ainda há de brotar.

Coração quando ferido jorra um líquido nobre, precioso conhecido como “experiência”.

Mas dede já advirto: não existe receita pronta apenas contra-indicações, mas nada pré-formado.

Cada caso é um caso.

E o bom da vida é isso: recomeçar, resiliência.

Começar do começo, como se nada houvesse acontecido.

E na verdade, nada houve, ficou, e devemos respeitar os pretéritos perfeitos da vida.

Mas não serve para o futuro e nem para o presente do indicativo.

A não ser que sejam bons exemplos ou boas experiências, pois se for negativo, devemos escrever na beira-
mar, bem pertinho das quebras das ondas.

Gostaria de entender que linha tão tênue existe ente o amor e o ódio?

Tão fina e tão fácil de ser rompida.

Ferir o que gostamos, nos causar prazer, ou melhor, será que realmente gostamos?

Enfim, quem sou eu para querer entender sentimentos?

Apenas um menino chorão, desiludido e frustrado, por sentimentos não correspondidos.

Teimosia é diferente de perseverança.

Agora seu sei.