24 de fev de 2012

Frase do Dia



"Há uma hora de partida mesmo quando não há lugar certo para ir."

Tennesee Williams - Escritor e Dramaturgo Americano


Era uma vez...



U
m lugar muito, mas muuuuuuuito distaaaaaaaaaaante onde todos viviam em paz, mas 
que o progresso só chegava a passos de tartaruga.

O povo desse lugar trabalhava como louco e seu Governo nada fazia para melhorar a vida daquele povo.

Entrava governo saia governo e percebia-se que as ações de tais governos eram tidas para benefício próprio e em prol de uma minoria.

E o povo continuava trabalhando, e nada de ações do governo.

O governo era acompanhado por um Conselho que tinha como função fiscalizar suas ações, proteger e lutar pelo povo, mas isso nunca saia do papel.

Como o Governo só visualizava o próprio umbigo, com o Conselho não seria diferente.
Trabalho, ações, aprovar alguma coisa, vinha logo uma conversa com os próprios botões: “Vou ganhar o quê, vou ter alguma vantagem? Se sim, tá aprovado, se não tou fora, engaveta, arquiva, etc.

Passaram-se anos, décadas, mais de meio século e a cultura daquele lugar continuava a mesma.

Até que um dia um pequeno jovem começou a rezar, e rezar fervorosamente pedindo em suas preces simples coisas:

Um Governo que fosse eleito pelo povo e para o povo - que não fizesse uma gestão para si só, e que não fizesse do palácio a extensão da sua casa, ou melhor, como diz o dito popular: “Que não fizesse na vida pública aquilo que fazia na privada.”

Que trabalhasse de forma honesta com ideologia, que acompanhasse o tempo e soubesse o que é Educação, Saúde, Trabalho, Cidadania e etc.

Que tivesse coragem de trabalhar e não fizesse do seu mandato seu emprego, ou meio de vida.

Que cumprisse não todas as leis que estivesse sujeitas, mas que procurasse cumprir as básicas pelo menos e que não zombasse do seu Povo e do seu Rei, com seu cinismo e sua impunidade.

Que pensasse nos Jovens, pois esses carregam a bandeira do futuro, e soubesse que eles não são bestas nem vivem só  de bebidas e baladas. Muitos deles se preocupam com o futuro do seu povo, só não tem vez e nem voz.

Que pensasse também nos idosos, pois os mesmos merecem nosso respeito e são fontes vivas de experiência, a grosso modo é uma Consultoria para Vida a preço 0800.

Que pensasse com o mínimo de dignidade em Educação (pagando ao Professores salários dignos para que eles não tenham vergonha da sua profissão, pela esmola que recebe), Saúde (buscando uma saúde preventiva e não curativa), Cultura (povo sem Cultura é povo sem Identidade), Esporte (Mente Sã, Corpo São), Segurança (não subestimando o inimigo e lembrando que com o Progresso vêm as mazelas do Desenvolvimento).

Um Conselho que seguisse o modelo do Governo acima - e realmente fizesse o seu Papel, fiscalizando o Governo e dando suporte necessário para uma gestão de qualidade.

Um Povo que não fosse tão burro- pelo menos uma vez a cada dois anos, parasse pra pensar – que pensar não dói – e fizesse uma escolha sábia de seus representantes – que não trocasse seu poder de decisão por: 01 saco de cimento, um milheiro de tijolos, moto, carro, camisa, boné, uma rodada de bar, etc.

Enfim que o Povo realmente soubesse que tem um poder imensurável que é o Poder de Decidir.

E pra esse jovem era indiferente que fosse ELE ou ELA ou até mesmo HOMOSEXUAL ou BISEXUAL, isso não faz diferença alguma nesse caso. Bastava que ele tivesse o mínimo de qualidade, vergonha na cara e caráter.

Que tivesse pelo menos “Um Nome”: esse aqui é “Fulano de Tal”, e após a apresentação todos soassem como platéia de Teatro fazendo aquele biquinho redondo com a boca e emitindo aquele velho som conhecido: “Oooooooohhhhh!”


Mas esse Jovem continuava com suas preces e acreditava que um dia seria atendido (tá com a mulesta não) e nesse dia em diante viveriam felizes para sempre.

PS: Esta obra é uma peça de Ficção qualquer semelhança com a realidade será mera coincidência.