18 de jan de 2017

MEUS PASSOS



Desde que nascemos temos dentro de nós um ponteiro chamado consciência, e muito cedo aprendemos que tal ponteiro aponta para um dos lados certo ou errado toda vez que atuamos.

Desta forma sabemos do que devemos alimentar nossa pessoa para ajudar a função desse ponteiro, somos o que praticamos e não o que falamos, os hábitos que levam a tal prática são formado com a estrutura que construo todos os dias em pequenas ações e na atmosfera que escolho para mim, o meio que opto por andar.

Parece óbvio dizer que vivendo em uma Padaria por 10 ou 20 anos aprenderei a fazer pão de qualquer forma, mesmo sem querer, vou saber como se faz pão.

Da mesma forma se processa a nossa formação, se vivo em um ambiente saudável, prudente, boas conversas, boas leituras, boas músicas, tudo apontando para o bem, para a paz, equilíbrio, isso não irá evitar que as tentações, as provações, mas por não haver estrutura para o “MAL” ele aparece de pronto será identificado pela nossa consciência e logo será descartado, não existindo espaço para que ele cresça não adianta são apenas visitas pontuais e consequentes despedidas.

É como querer fazer Pão numa Oficina Mecânica, eu posso ser o melhor Padeiro do mundo, mas ali não é lugar de fazer Pão.

Na caminhada com nossos irmãos, temos o hábito em avaliar o outro tomando como base nosso caráter, nossos passos, tipo:

- “Fulano foi fraco por ter agido de tal forma.”.

Dizemos isso porque se fôssemos nós agiríamos diferente, claro. Nós agimos pelas nossas escolhas que são diferentes das escolhas do outro.

Cada pessoa é única, fruto de suas escolhas, diante das circunstâncias que o ambiente lhe proporciona.

Olhando dessa forma a Traição, Ingratidão, e outras feridas que nos surpreende fica mais fácil de perdoar quando observamos que a opção de se aproximar de uma pessoa que já possui sua formação é nossa.

E “Fulano sendo Fulano” independente de minha ajuda ou não será Fulano sempre.

Se ele caminha no mal, na ingratidão, em chantagens, jogos de interesses e o nosso ponteiro aponta pro lado errado. Devemos agradecer a Deus por enxergarmos essa leitura.

Julgar ele como Pessoa do Mal por ter sido ingrato conosco, não irá mudar nada.

Ele continua sendo ele, pois só aprendeu aquilo, e nós continuaremos sendo nós, por ter conhecido outras formas de caminhar.

E julgar por julgar não fará dele uma pessoa melhor, até o momento que eu seja indulgente e dê exemplo de que existem outros caminhos, outra face, outro jeito de ser e o melhor: que vale a pena ser caminhante do Bem.

Já pensou se Jesus apenas julgasse durante sua existência aqui na Terra?

Dizendo que Fulano é assim, e Beltrano é assado, e não perdoasse, e não usasse o Amor como ferramenta, como instrumento de mudança?

Será que nosso mundo seria o mesmo?

Não viemos para aniquilar ou acabar com nada, nossa missão enquanto viajante desse mundo Terreno é APRIMORAR, MELHORAR, AJUSTAR O QUE ESTÁ TORTO.

Bola pra frente.

Até chegarmos no último degrau de nossa evolução, tudo que acontecer contrário ao nossos planos é aprendizado.

Vale a Pena ser do Bem, embora todas as pancadas de um Mundo onde a “Vantagem” reina, a Malandragem é moeda de troca, e sabe por quê?

Porque pensar dessa forma é pensar pequeno.

É achar que tudo acaba depois que partimos.

Confesso que Dói, é Difícil, mas vale a pena ser do BEM.

Nossa Imortalidade começa a ser construída aqui e agora, as sementes que plantamos em cada atitude nossa ficará marcada pra sempre.

E nossa Amiga e Fiel Morte, não consegue levar consigo os exemplos que deixamos aqui, as atitudes que plantamos aqui.

O Mundo é dos Bons e não dos Espertos.

Paz e Luz.

João Alfredo (PE), 18 de janeiro de 2017
Benízio Elias Filho