23 de set de 2016

Vai Safadão!!!

Meu sapato precisa de conserto e agora?

Vivo num tempo em que Sapateiro está em extinção, assim como outros ofícios como Alfaiates, Costureiras, e etc.

Certas profissões estão deixando de existir porque vivemos a Geração de Descartáveis. 

Quebrou? Joga fora.

As roupas de hoje são feitas para durar pouco, pois para estarmos em frequência com a Moda, não podemos repetir o mesmo modelo de roupa, da mesma forma acontecem com móveis, carros e etc.
Até ai tudo bem, mas a coisa começa complicar quando a Geração Descartável emplaca nos Relacionamentos, nas Pessoas.

Aprendemos a confundir Preço com Valor.



Coisas tem Preço, Pessoas tem Valor.

Conhecemos uma Pessoa numa festa e já ficamos muitas vezes transamos sem sequer perguntar seu nome.

Quando muito evoluímos ficamos com essa Pessoa duas ou três vezes no máximo.

Quando partimos pro namoro, pois pensamos numa coisa mais séria na maioria das vezes.
Pra sermos práticos criamos uma nova categoria onde os Homens são denominados de “NAMORIDOS”, que seria uma fusão de Namorado + Marido. 

Digamos que seria um Namorado sem coragem de ser Marido, ou um “quase” Marido em estado Probatório.

Enfim, denominação a parte, mais uma vez pulamos etapas pensado que o mais fácil é sempre o melhor, e como se diz no BOPE: “Nunca Serão”.

Nos poucos relacionamentos que hoje existem, no primeiro sinal de Manutenção, voltamos pra Geração Descartável, como não vale a pena consertar, deixa-se Ele (a) e parte-se pra Outro (a).

Desaprendemos muita coisa.

Não conversamos, não dialogamos.

Não conhecemos muitas vezes nossa própria família, mas a novela da Globo ou a última música do “Safadão” é automático, mal lançou já estou cantando.

Nada contra as Novelas da Globo e nem contra o Mito Wesley Safadão, longe disso ambos tem seus méritos, quero mostrar aqui a prioridade diferentes que damos as coisas.



Quer ver uma coisa?

Qual a última vez que sua família sentou-se à mesa pra fazer uma refeição todos juntos e sem ligar a TV, Whatsapp, Facebook nos Celulares ou outra coisa parecida?

Qual a última vez que você sentou pra conversar com seu Filho (a)?

Qual a data da sua última Discussão de Relacionamento, a temível “DR”?

Como a Religião influi na sua vida?

Assim continuamos vivendo um mundo de estranhos que dividem o mesmo espaço.

A cada dia a confusão aumenta entre o conceito de CASA x LAR.

A TV cada dia mais toma espaços em nossas Casas, trazendo pra nossa vida influencias que nos tornam a cada dia mais alienados.



De acordo com o relatório anual do AD Council (www.adcouncil.org. - entidade americana pró-lar e família), publicado na revista Seleções (em inglês - junho de 1998), “50% dos lares americanos deixam a televisão ligada durante o jantar em família.”.

A Interação Social a cada dia torna-se raro, a Tecnologia que deveria juntar, aproximar as pessoas deu efeito colateral, nos empurra pra um Mundo Individualista, Egocêntrico.

Casais saem pra jantar e ao chegar ao Restaurante, antes mesmo de desejar “Boa Noite” perguntam:

“Qual a senha do Wi Fi”?

É duro meu nobre, status todos querem.

Todos querem apenas o Bônus, mas e o Ônus como fica?

A Expressão famosa: “São os ossos do ofício”, ninguém quer usar mais.

E ai como fica a coisa?

Enquanto isso não muda ou enquanto vivo na Tribo errada e não sai à procura de novas Tribos, pelo menos por enquanto torno público aqui meu mais novo Perfil:

“Relacionamento Sério Comigo mesmo, com meus defeitos, meus CDS, meus Livros e meus Escritos.”

Não que eu seja perfeito, possuo todos os defeitos que um Homem pode possuir, mas sempre acreditei que um Relacionamento é coisa Séria.

Ficar? 

Fiquei muuuuuuuuuuuuito e até fico se preciso for, mas confesso que um simples ficar já não me satisfaz como antes.

Claro que estou ficando mais velho a cada dia.

O Cabelo caiu, a barriga começa a dar sinal de vida (mais do que devia até), o vigor da juventude começa e dar “BUG”, mas o que faz valer a pena a Careca, as Rugas, o “Peso do Tempo” são as Lições Aprendidas.

E essas não aparecem pulando etapas, esquivando-se de obrigações.

Cada vez mais busco incorporar a filosofia: “Prefiro ser Feliz a ter Razão”.

Fácil nunca será, mas tem hora que vale a pena.

Não nasci pra generalizar os Descartáveis.

Pessoas, Sentimentos, Amizades, Amores, precisam, merecem e devem ser consertados no primeiro sinal de falha, vale a pena consertar um Amor Velho do que Jogar fora e tentar um Amor Novo.

Afinal Sentimento nunca sairá de moda, e aprendi recentemente com meu Amigo e Psicólogo Ricardo Barbosa que: "O Amor nunca morre, o que morre é a Vontade de Amar".

Sou da Geração que Homem Chora, se declara, Ama, e busca respeitar a Mulher.

Um Safadão nunca será referência pra mim, no trato com as Mulheres, de como se relacionar, a não ser como Mau Exemplo.

Como até um Relógio quebrado marca a hora certa duas vezes por dia.

A única coisa que admiro no Safadão é o seu Talento pra chegar ao Cachê que cobra hoje.

Lista dos Cachês pago no São João de Caruaru em 2016:

Wesley Safadão - R$ 575 mil
Luan Santana - R$ 325 mil
Bell Marques - R$ 280 mil
Aviões do Forró - R$ 250 mil
Elba Ramalho - R$ 190 mil
Matheus e Kauan - R$ 180 mil
Flávio José - R$ 100 mil
Margareth Menezes - R$ 95 mil
Banda Forró Anjo Azul - R$ 95 mil
Banda Desejo de Menina - R$ 90 mil
Gabriel Diniz - R$ 90 mil
Marcia Fellipe - R$ 85 mil
Banda Mastruz com Leite - R$ 85 mil
Jorge de Altinho - R$ 85 mil
Nando Cordel - R$ 80 mil
Paula Mattos - R$ 80 mil
Banda Magnificos - R$ 75 mil
Ademário Coelho - R$ 70 mil
Cavaleiros do Forró - R$ 70 mil
Gatinha Manhosa - R$ 60 mil
Banda Arreio de Ouro - R$ 60 mil
Banda Limão com Mel - R$ 65 mil
Banda Calango Aceso - R$ 65 mil
Santana O Cantador - R$ 65 mil
Luan Forró Estilizado - R$ 60 mil
Banda Solteirões do Forró - R$ 55 mil
Geraldinho Lins - R$ 50 mil
Petrucio Amorim - R$ 50 mil
Banda Brasas do Forró - R$ 45 mil
Maciel Melo - R$ 40 mil
Banda Iohannes e Forró do Imperador - R$ 40 mil
Banda Brucelose - R$ 35 mil
Novinho da Paraiba - R$ 35 mil
Azulão e Azulinho - R$ 25 mil
Banda Bichinha Arrumada - R$ 25 mil
Del Feliz - R$ 20 mil
Marcos Lessa - R$ 20 mil
Teatro de Mamulengos Mamuseba - R$ 18 mil
Valdir Santos - R$ 17 mil
Benil - R$ 15 mil
Banda Os 3 do Nordeste - R$ 15 mil
Os Gonzagas - R$ 15 mil
Silvério Pessoa - R$ 15 mil
Banda Forró do Firma - R$ 15 mil
Fulô de Mandacaru - R$ 12 mil
Quadrilha em Pernas de Pau (três apresentações) - R$ 12 mil
Dorgival Dantas - R$ 12 mil
Banda Pinga Fogo - R$ 12 mil
Banda Zé do Estado - R$ 10 mil
Banda Caru Forró - R$ 10 mil
Jailson Rossete - R$ 10 mil
Erisson Porto - R$ 10 mil
Fabiana Pimentinha - R$ 10 mil
Renilda Cardoso - R$ 10 mil
Lucas Costa - R$ 10 mil
Didi Caruaru - R$ 8 mil
Companhia Mambembe - R$ 7,7 mil
Berinho do Acordeon - R$ 7 mil
Banda Virados do Forró - R$ 6 mil
Banda Santa Dose - R$ 6 mil
Douglas Leon - R$ 5 mil
Coroné Cornélio e Carmosina - R$ 4 mil
Rosimar Lemos - R$ 4 mil
Kell Sales e Kleiton Mel - R$ 4 mil
Banda de Pífano Vitoriano Jovem - R$ 3,5 mil
Banda Amor.com - R$ 3 mil
Trio Café Com Leite (cinco apresentações) - R$ 3 mil
Trio Remelexo - R$ 2,4 mil
Trio Santa Rosa (quatro apresentações) - R$ 2,4 mil
Trio Baú dos 8 Baixos (quatro apresentações) - R$ 2,4 mil
Felipe Gonçalves - R$ 2 mil
Grupo de Dança Expressão Popular Flor e Barro (duas apresentações) - R$ 2 mil
Astúcia Skateboard - R$ 2 mil
Quadrilha Junina Arrasta-Pé - R$ 2 mil
Tony Maciel - R$ 2 mil
Trio Vai Hoje (três apresentações) - R$ 1,8 mil
Garotos do Forró - R$ 1,5 mil
Banda Dama do Rei - R$ 1,5 mil
Banda Viatura - R$ 1 mil
Banda Rasga Mortalha - R$ 1 mil
Banda Silent Revelation - R$ 1 mil
Banda 2º Turno - R$ 1 mil
Banda Mizera - R$ 1 mil
Daniel Olimpio - R$ 500 
Repentista Luciano Leonel - R$ 500
Declamador Jenerson Alves - R$ 300
Declamador Dorge Tabosa - R$ 200 


Se o tema da conversa for “Como cobrar um Cachê de um Show”, eu estufo a caixa dos peitos e grito em Alto e Bom Tom:


“Vai Safadão, Vai Safadão.”

Recife (PE), 23 de setembro de 2016.

Benízio Elias da Silva Filho – DUY