04/05/2011

Poema aos Amigos Alcoólatras...


Amizade Inversa

Que bom ser tua companhia sempre vivendo ao teu lado
Um problema, uma alegria, uma festa, uma paixão
Um Natal, um Carnaval, uma Páscoa ou São João
Não importa o momento, nem precisa ter cuidado

Não precisa me chamar estarei no dia-a-dia
Entro sempre em tua casa sem até me convidar
Estou sempre em tua vida, era isso que eu queria
Começo devagarzinho, mas sei que vou melhorar

Teu Pai, teu avô, teus sobrinhos e teu irmão
Tua família inteira, sempre me conheceu
Já percorri todo seu corpo, inclusive o Coração
Tirando muito ou pouco, mas sempre soube o que é meu

Passei pelo teu trabalho e lá deixei o meu nome
Suas paixões doentias era meu melhor alimento
Vivo sempre sem luxo, te deixo às vezes com fome
Nunca fui de ter orgulho, só não desprezo o momento

Atualmente sou bem quisto por toda a juventude
A Sociedade nem percebe, faz de conta que não vê
Fico meio aborrecido quando quer que eu te ajude
Deixo o Padre ou a Igreja, só não vou perder você

Já levei muitos a sarjeta por causa da minha fama
Doutores, Professores, nunca fui de escolher
Já tive em Hospital deixei você numa cama
É isso que me alimenta, e isso me faz crescer

É uma pena que hoje, já não sou mais seu amigo
Por causa de amigo seus vivo a perambular
Foi um tal de AA que mexeu assim comigo
Cortou o meu destino e começo a te ajudar

Hoje te vejo de longe e fico pensando mesmo assim
Como é que uma amizade que era antes tão forte
Encontrou a Grande Sorte
E anunciou o nosso Fim

Pois é meu grande amigo, o problema é o conceito
Amigo nunca tu fostes, mas inimigo isso sim
Quase acabei minha vida, quase não tinha jeito
Foi conhecendo o AA que pude criar o teu FIM.


Dedico este poema a todos os meus antepassados que não puderam saborear o verdadeiro sabor da vida: a Sobriedade.
Agradeço pelo ensinamento que me deram, mesmo servindo de mau exemplo.

Benízio Elias da Silva Filho (Duy)
Neto, Filho, Primo e Irmão de Alcoólatras e Alcoólatra em Fase de Recuperação.