27 de jun de 2012

Ed Carlos faz Show em João Alfredo, o que ficou ...

Sou sincero em falar que apesar de ter ouvido falar muitas vezes em época de Carnaval em Ed Carlos, nunca tive a oportunidade de assistir o seu Show. Até o dia 24/06/12 quando ele veio a João Alfredo em pleno dia de São João nos alegrar com seu talento.

Apesar de um dia de ressaca onde no dia 23/06 a festa rolou até a barra quebrar, muita gente infelizmente não compareceu, outra agravante foi a noite chuvosa.

Portanto juntado a preguiça da ressaca e o frio da noite chuvosa de pleno inverno poucos tiveram a garra de sair de casa.

Eu como não sou de açúcar, e não iria perder a oportunidade de prestigiar o Artista foi ao Ginásio Poliesportivo Djair Santos, com o Show ED CARLOS CANTA GONZAGÃO, fui a luta:


Como bom matuto fiquei por ali pelo Palco "gurejando" a passagem do Som, pedi sua autorização para registrar o Repertório, feito todo dentro de nossa cultura e do verdadeiro forró, tá ai que não me deixa mentir:
Repertório de Ed Carlos no São João de João Alfredo em 24/06/12

De cara gostei muito da banda, o Sanfoneiro Eduardo com uma Sanfona Bugari de 120 baixos, com seu peso no abrir do fole me fez lembrar o Forró do Mestre Camarão, gostei muito do Sanfoneiro, parabéns Eduardo pelo talento no abrir e fechar o fole:


Eduardo - Sanfoneiro de Ed Carlos na passagem do Som
Destaque também para a performance do Baixinho no Triângulo, o rapaz dança que é uma beleza e não ficava parado.

Fiquei surpreso durante o Show com a Revelação de ED CARLOS em revelar que é de Umari Distrito de Bom Jardim, fico muito feliz por isso e o Próprio fez questão de enfatizar a revelação.

De uma simpatia ímpar e de uma humildade que vive em extinção Ed Carlos interagiu com o público o tempo todo, brincando, cantando, levando o povo pra dançar no Palco, distribuindo CDs e tudo dentro do maior respeito e simpatia.

É literalmente um Artista.

Para mim valeu a pena ter enfrentado a Chuva, o Frio e a Ressaca para ter ido prestigiar um verdadeiro Artista que não esconde e nem foge das origens.

Uma qualidade musical que merece respeito e sem muitos "pra que isso", apenas: 
  • Contra Baixo
  • Bateria;
  • Zabumba
  • Triângulo
  • Cavaco
  • Sanfona
  • 01 Backing Vocal
Juntando todos esses ingredientes com a vontade e o entrosamento de todos, no final você não tem ideia do som que essa equipe é capaz de produzir. Digno para um Dia de São João.
Tocaram de tudo: Luiz Gonzaga, Trio Nordestino, Jackson do Pandeiro, Accioly Neto e muito mais do nosso tesouro musical.
Não precisou de muita gente fazendo barulho e nem de 05 ou 06 Bundas Dançantes para agradar o Público e dizer pra que veio.

Não tenho nada contra Bundas, como dizia Clô: Adoooooooooooooooooro! 
Mas tudo tem seu momento certo, quando o tema for bunda tou dentro, agora compensar a falta de talento musical com Bunda, não dá.
Bunda fica pra outro Show a parte que nessa hora também não cabe música.

Mas voltando pro assunto pra não sair do contexto, de ED CARLOS seu Show ficou com gostinho de quero mais, muita gente ainda não o viu e é preciso conhecer verdadeiro representantes da nossa Cultura.

Valeu Ed Carlos, um grande abraço do seu mais novo Fã.

Benízio Filho

22 de jun de 2012

Assista e emonione-se com o Promo Oficial do Filme Gonzaga e Pai para filho

Pra quem espera ansioso nos Cinemas o Filme que conta a História de Luiz Gonzaga, segue uma pequena amostra para aumentar a expectativa.

Espero que seja fiel a nossas origens e a nossa história e não tenha tanta maquiagem.

Assistam e comentem:


16 de jun de 2012

É São João

Já ouvi da boca do Saudoso e filosófico Zezé Negromonte (que já ouviu de alguém):
 "O Homem é produto do meio."

Refletindo nosso perfil sócio-cultural fiquei pensando em nosso São João.

Tive a felicidade de alcançar um época de ouro falando em São João em nossa família, a família Elias de João Alfredo-PE .

José Elias da Silva - Sr Cajú um comerciante de nome em nossa cidade - modéstia a parte - reunia em seu Sítio Gabié, naquela época (1985, por ai) boa parte da família vivia em Recife e Olinda: Gonzaga e Digna em Olinda, Genival, Nicinha e Helena em Recife. Em João Alfredo: Toinho e Benízio.

Era uma espectativa danada, os meus primos todos de férias: Aldrin, Cristina, Carmem, Cláudia, Karla, Genival Júnior, Dedé, Flávio, Fabinho (Barraca) , Fred, Frederico, Cristiane, Rogério, Codó e Eu.

Uma rama de menino que não tinha tamanho.

Na cozinha Vó Caju (Dona Maria) preparava as comidas juninas, junto com Tia Helena o maior talento gastronômico que a Família Elias tinha no momento, a mulher ainda hoje dá Show na Cozinha, Ana Maria Braga não chega nem perto.

Sr Caju preparava a Fogueira, o Reune (Bacamarte) que dele herdei a arte de Bacamarteiro, os fogos e mandava quebar o milho pra pamonha, canjica, bolo e arrancava mandioca, colocando de molho para fazer bolos e pé-de-moleque.

Toinho de Cajú cuidava dos fogos e da parte musical, "A famosa radiola que a caixa era o fone", o repertório de Tio Tonhe tinha de tudo: Véi Faceta, Zenilton, Genival Lacerda, Trio Nordestino, Os 03 do Nordeste, Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, o homem tinha bom gosto.

Além da música ficava por conta de Tio Tonhe a adrenalina da festa pois quando ninguém menos esperava ele soltava um muscapé dentro de casa, isso mesmo, dentro de casa, passavam de 03 na porta.
Era uma resenha só.

Vó Caju braba, fumando numa telha e Tio Tonhe com seus gritos: "Olha aeeeeeeeeee, Olha aeeeeeeeeeee".

E a noite fogueira acesa, fogos comendo no centro, mesa farta, tiros de Reune, e as peripécias de Tio Tonhe.

Não há na nossa Família que não guarde isso pro resto da vida.

Voltando pra frase que ouvia de Sr. Zezé  Negromonte: "O Homem é produto do meio.", foi devido a essa vivência que construi meu gosto por nossa cultura, nosso forró atutêntico.

Naquela época nem precisava "chupar, mesmo sendo de uva" e nem "beber, cair e levantar" pra ser feliz.

Bastava chamar as meninas de tranças feitas no cabelo, rosto pintado e tome forró a noite todinha.

Lembro do São João de 1993 feito pelo Saudoso Cavalcanti Júnior, que foi o melhor São João de João Alfredo até hoje: Flávio José, Jorge de Altinho, Cristina Amaral, Assisão, Toinho do Baião e muito mais.
Era a época de Paulo Tonny e Eletrobanda, veja que nome mais futurístico, kkkk.
Quem não lembra do Palhoção da Rua da Fábrica, do Munguzá? Matem as saudades ai:


Naquela época, eu aluno de 2º Grau no Colégio Marista de Surubim, foi minhas primeiras noitadas, passava a noite tooooooooodinha pra criar coragem pra chamar uma menina pra dançar.
Quando conseguia saia de peito estufado pra casa, se achando o homem mais sedutor do mundo, nem beijo saia, mas a sensação era de ter feito amor com a mulher mais gostosa do mundo. O Tempo Bom!!!

Depois mais na frente, outra grande alegria pra minha vida: Forró Casa de Taipa, quem não lembra, todos os domingos, a hora de começar quem dava era o Padre, só começava depois da Santa Missa aos Domingos.
Tudo começou em 13 de abril de 2002, na Antiga Discoteca de Sr Zezo do Bar, eu e Nelson do Acordeon criamos a Casa de Taipa, e até hoje deixa saudades, mas ela vai voltar, pode confiar.


Hoje a coisa é diferente, em pleno Centenário de Luiz Gonzaga temos em Limoeiro, cidade que nasci e gosto muito: Bruno e Marrone, Roberta Miranda.

Não tenho nada contra, até tenho disco de ambos, mas tudo no seu tempo, o Sanfoneiro passa o ano todo "chupando cú de passo", como diz o matuto e quando chega a hora de lavar a égua, vamos chamar o povo do Sul. Perguntas:

Estamos em pleno Centenário de Luiz Gonzaga, seria essa as atrações para tal comemoração?

Quando forem comemorar os 100 anos da Música Sertaneja, vocês acham que vão chamar: Petrúcio Amorim, Jorge de Altinho, Nordestinos do Forró pra tocar em São Paulo?

O Tempo bom do São João que era nosso, que não precisava de putaria, de esculhambar a mulher e nem de exaltar o Alcoolismo para comemorar o São João.

Para endossar minhas palavras nada mais nada menos que o Mestre Lua:

São João Antigo Luiz Gonzaga
 
Era a festa da alegria (São João) Tinha tanta poesia (São João)

Tinha mais animação Mais amor, mais emoção Eu não sei se eu mudei Ou mudou o São João
Vou passar o mês de junho Nas ribeiras do sertão Onde dizem que a fogueira Ainda aquece o coração

Pra dizer com alegria Vai chorando de saudade Não mudei meu São João Quem mudou foi a cidade 




15 de jun de 2012

A Lição do dia

Sem querer estava eu no facebook, dando aquela olhada básica, quando de repente surgem palavras, não simples palavras, mas aquelas que descrevem direitinho o que está acontecendo com a gente.
Sabe como é que é?

Então la vai, do meu Amigo Jonas Cavalcanti, filho do Grande Guru  Zé Vieira:


13 de jun de 2012

Programação do São João de João Alfredo - 2012

Como de costume iremos fazer nossos breves comentários:





Dia 16/06: Almir Rouche - Demonstrou um bom repertório com seu DVD de Forró, embora sua voz um pouco aguda não seja característica do Pé-de-Serra, tem mostrado serviço com suas insterpretações e na escolha do repertório, dentro das origens.










 




Dia 16/06 Anjos do Forró : Tem feito uma mescla entre os sucessos do forró estilizado atual e já ouvi grandes viagens pelo forró das antigas. Tendo no comando o grande Sanfoneiro e meu Amigo pessoal Kekéu, quando viaja pelas origens do forró mostra pra que veio.





Dia 17/06 Irah Caldeira: Mineira que podemos dizer que é Pernambucana pelo amor e dedicação a nossa cultura. Lançando seu novo CD "Sem Segredo", sua beleza se confunde com seu talento musical. De um forró romântico que canta a paixão, o amor, canta também nossa terra, nosso povo e nossa luta. Irah Caldeira tem uma voz inconfundível e única.











Dia 17/06 Deivinho Sanfoneiro: Lançando seu novo CD "Deivinho Sanfoneiro -Canta Forró com (vozes do Brega). Deivinho já pode dizer que é de casa. Fez 02 apresentações em João Alfredo, a 1ª  no I Encontro de Chorinho promovido pela Dom Bosco, no São João de 2011 esteve em João Alfredo como Sanfoneiro de Santanna "O Cantador" e mês passado fez uma participação especial no lançamento do CD de Nelson do Acordeon no Parque Aquático São Miguel. Grande Instrumentista e de uma simpatia ímpar Deivinho não vê a hora de mostrar seu trabalho em João Alfredo. Vejam só um pouco do que o rapaz é capaz numa pequena apresentação no Programa de Ivan Ferraz:

 


Dia 24/06 Nelson do Acordeon: Ele que é prata da casa, filho de Sr. Antônio Gonçalves, já foi Sanfoneiro da Banda Limão Com Mel e já se apresentou no Sala de Reboco com o Saudoso Toinho de Limoeiro. Nelson do Acordeon com seu Irmão Daniel tem alegrado as festividades de João Alfredo durante um bom tempo. Tive o enorme prazer de dividir com Nelson do Acordeon e Cia o Projeto "Forró Casa de Taipa" que até hoje deixa saudades no segmento de forró pé-de-serra em João Alfredo. Por ser Canhoto carrega consigo a curiosidade de tocar com a Sanfona de cabeça pra baixo.


Dia 27/06 Cezzinha do Acordeon: Faz tempo que venho torcendo para que isso acontecesse, ver Cezzinha tocar em minha terra é de uma alegria imensurável. Tive o prazer de conhecer Cezzinha na casa de Sr Lula do Acordeon e através de Cezzinha fui apresentado a Dominguinhos e Mestre Genaro no Sala de Reboco. Cezzinha tanto toca como canta bem. Foi aluno do Mestre Camarão e é parceiro do Mestre Dominguinhos.


Dia 30/06 - Petrúcio Amorim: É impossível gostar de cantar forró e nunca ter cantado uma música de Petrúcio Amorim. Suas composições é Poesia pura. Nosso povo, nosso cheiro, nossa terra e ainda canta o amor, a paixão, a solidão e todos os sentimentos como ninguém. Quem nunca roeu ou quem nunca se declarou usando a Música de Petrúcio Amorim como atalho? Só pra endossar as palavras: " Nos braços de uma morena quase morro um belo dia ..." Fechou a programação com Chave de Ouro. Vida longa ao Poeta.



Caros leitores, desculpe-me se esperavam mais comentários ou se pequei em algo. Isso são apenas pequenos comentários daquilo que fico a vontade em comentar, não desmerecendo os demais, mas escrevi aqui aquilo que mais me identifico e posso falar por já ter ouvido algo do povo acima. Mas temos ótimas atrações que não aparecem em nossas palavras.

Agora é só preparar o sapato e arrochar o nó no Ginásio Poliesportivo Djair Santos, só não vale brigar e exagerar na bebida.
E quero dar um recado a uns "Donzelos" que ao invés de dançar ficam perdendo tempo soltando fogos no meio do povo e pior dentro do Ginásio, mas para eles temos a dedicação da Polícia Militar e Polícia Civil de PE garantindo nossa segunrança.

Um Ótimo São João a todos os leitores.

E viva os 100 anos do Mestre Lua!!!



 

7 de jun de 2012

Semana do Meio Ambiente no Recife que lindo, será?

Em diversos locais aqui em Recife-PE está sendo vivenciado a Semana do Meio Ambiente que começou desde a última segunda-feira(04/06/012) até o próxima sexta-feira(08/06/12).

Muito bonito vermos a preocupação de todos em preservar nosso Meio Ambiente.

Mas que provocarmos um pouco?

Deveríamos aprender com os Índios como tratar a nossa Terra, ou melhor a Mãe Natureza.

Acredito que o discurso é muito e prática é pouca, quer um exemplo?

Hoje (07/06) estive na Livraria Cultura e no Paço Alfândega, que pra mim é parada obrigatória, na semana que não vou lá, não é semana.


Vejam que imagem linda acima. Poderia ser bem melhor, não acham?

Agora vamos ao puxão de orelha, vejam e reflitam o que estamos fazendo do nosso Rio Capibaribe:


 Vejam a quantidade de lixo na margem do Rio Capibaribe em frente ao Paço Alfândega.
Será que é esse o Mundo que nossos herdeiros merecem ?
 O rio também está muito aterrado.
 Poderia ser uma imagem bem melhor, mas a culpa é nossa.
E detalhe, não é apenas os Recifenses que tem culpa no cartório, qualquer lixo jogado próximo ao Capibaribe ou em seus afluentes desembocam aqui no Mar.












Fica aqui minha singela homenagem aos que jogam o lixo pela janela do carro, os que sujam as ruas, as calçadas e etc.

Feliz Semana do Meio Ambiente pra você, já que nosso Rio Capibaribe não pode dizer o mesmo.