22 de mai de 2012

Uma Receita, complicada, mas uma receita.


Corações quando feridos ficam estilhaçados, alguns cacos se reintegram, outros ficam perdidos no espaço.

Esses que achamos que se perdem, não estão perdidos, unem-se num espaço chamado: Mundo Real.

Os apaixonados habitam outro mundo totalmente diferente.

Onde o céu é mais azul, o sol brilha mais, e todas as falhas são admiradas até o dia que cai a fenda dos nossos olhos, some a névoa da paixão e aparece a realidade e piora quando conhecemos um veneno chamado: “Ingratidão”.

Esse tem gosto de fel, amarga, mata, fede e destrói tudo o que possamos imaginar e algo mais.
Ingratidão acaba qualquer paixão, qualquer amor (só não Amor de Mãe), pois junto a Ingratidão vêem outros venenos: “Soberba e Desrespeito”.

Por uma fórmula tão completa não tem paixão que resista.

Mas o bom da história é que existe um antídoto para ambos que é o “Amor Próprio”, que tomamos combinado com algumas gotas de “Paciência” e “Fé em Deus”.

Começado o tratamento com um tempo depois nos recuperamos de tal enfermidade, pois não há “Ingratidão” que o “Tempo” não cure.

E o engraçado é que não existe de forma alguma uma saída, um jeito para descartar esta receita.

Uma vez que nos entregamos a alguém estamos sujeitos involuntariamente a aprendermos tudo isso, mesmo sabendo que uma piscada de olhos, um descuido, podemos botar tudo a perder:  a paixão, o amor, o relacionamento ou até mesmo a nossa própria vida.

Portanto cuidado com os ingredientes que junta durante a caminhada e não tenham medo, o bom mesmo e se entregar de corpo, alma e coração. 

De que serve a vida senão para vivermos de forma completa, amando, sofrendo, sorrindo ou chorando, emoções foram feitas para serem usadas durante a caminhada, pois estocadas não servem, vencem o prazo de validade e não tem como recuperá-las.