30 de mai de 2012

Refletindo



Viajo por um mundo tão perto e tão longe.

Viajo pra dentro, procuro descobrir o incerto, o desconhecido, o que restou e o que ainda há de brotar.

Coração quando ferido jorra um líquido nobre, precioso conhecido como “experiência”.

Mas dede já advirto: não existe receita pronta apenas contra-indicações, mas nada pré-formado.

Cada caso é um caso.

E o bom da vida é isso: recomeçar, resiliência.

Começar do começo, como se nada houvesse acontecido.

E na verdade, nada houve, ficou, e devemos respeitar os pretéritos perfeitos da vida.

Mas não serve para o futuro e nem para o presente do indicativo.

A não ser que sejam bons exemplos ou boas experiências, pois se for negativo, devemos escrever na beira-
mar, bem pertinho das quebras das ondas.

Gostaria de entender que linha tão tênue existe ente o amor e o ódio?

Tão fina e tão fácil de ser rompida.

Ferir o que gostamos, nos causar prazer, ou melhor, será que realmente gostamos?

Enfim, quem sou eu para querer entender sentimentos?

Apenas um menino chorão, desiludido e frustrado, por sentimentos não correspondidos.

Teimosia é diferente de perseverança.

Agora seu sei.

Nossos Ingredientes



De que somos feitos?

O que queremos para nós?

Apaixonamos-nos muitas vezes por supérfluos, não valorizamos e nem olhamos o básico.

Quando percebemos o que realmente procuramos e não encontramos, deixamos de lado a paixão e começamos a viver racionalmente.

Mas a partir desse momento vivemos dividido entre razão e emoção.

Se virmos àquilo que nos faz sofrer e já não está conosco sofremos.

Sofremos pela lembrança do passado.

Sofremos pela saudade dos bons momentos.

De que somos feitos?

Emoção ou Razão?

Paixão ou Tezão?

Existe amor que nos faz sofrer?

Por que sofremos para amar ou amando, se diz os Poetas que o Amor é um sentimento sublime?

De que somos feitos?

O que queremos para nós?

Quem comanda o Corpo: a Cabeça ou o Coração?

22 de mai de 2012

Uma Receita, complicada, mas uma receita.


Corações quando feridos ficam estilhaçados, alguns cacos se reintegram, outros ficam perdidos no espaço.

Esses que achamos que se perdem, não estão perdidos, unem-se num espaço chamado: Mundo Real.

Os apaixonados habitam outro mundo totalmente diferente.

Onde o céu é mais azul, o sol brilha mais, e todas as falhas são admiradas até o dia que cai a fenda dos nossos olhos, some a névoa da paixão e aparece a realidade e piora quando conhecemos um veneno chamado: “Ingratidão”.

Esse tem gosto de fel, amarga, mata, fede e destrói tudo o que possamos imaginar e algo mais.
Ingratidão acaba qualquer paixão, qualquer amor (só não Amor de Mãe), pois junto a Ingratidão vêem outros venenos: “Soberba e Desrespeito”.

Por uma fórmula tão completa não tem paixão que resista.

Mas o bom da história é que existe um antídoto para ambos que é o “Amor Próprio”, que tomamos combinado com algumas gotas de “Paciência” e “Fé em Deus”.

Começado o tratamento com um tempo depois nos recuperamos de tal enfermidade, pois não há “Ingratidão” que o “Tempo” não cure.

E o engraçado é que não existe de forma alguma uma saída, um jeito para descartar esta receita.

Uma vez que nos entregamos a alguém estamos sujeitos involuntariamente a aprendermos tudo isso, mesmo sabendo que uma piscada de olhos, um descuido, podemos botar tudo a perder:  a paixão, o amor, o relacionamento ou até mesmo a nossa própria vida.

Portanto cuidado com os ingredientes que junta durante a caminhada e não tenham medo, o bom mesmo e se entregar de corpo, alma e coração. 

De que serve a vida senão para vivermos de forma completa, amando, sofrendo, sorrindo ou chorando, emoções foram feitas para serem usadas durante a caminhada, pois estocadas não servem, vencem o prazo de validade e não tem como recuperá-las.


17 de mai de 2012

Fala Jabor ...


Inteligência pode até ser pra muitos.

Mas Coragem e Objetividade para falar as coisas que realmente precisam ser ditas é pra Poucos.

Sou Fã de Arnaldo Jabor, mais uma pérola.

14 de mai de 2012

30 dias



Numa gestação durante esse período o feto ainda não está formado, o feto tem aproximadamente 05 mm, tamanho de um caroço de feijão. Começa tomar forma após os 14 dias em seguida.
Num processo burocrático é o necessário para defesa, recursos e etc.
Pergunto o que representa 30 dias de desamor?

São 30 dias sem 30 noites.
Os dias mais compridos que já conheci na minha existência.
Período onde realmente conhecemos nossos amigos, aqueles que sempre te dão um ombro amigo, embora seus conselhos pareçam que são ditos em hebraico, nada entendemos, nada aplicamos, apenas sofremos.
Não são poucas as vezes que ouvi: “Bola pra frente, acabou, tenha paciência que isso passa.”
Ouvir é até fácil, difícil é viver ou melhor sobreviver.
Onde passo tudo me lembra você.
Nas vitrines, todo manequim tem tua cara, no rádio toca aquilo que te lembra, parece coisa feita, mas tudo te remete.
E o pior é sofrer de saudade e não querer estar junto, por medo, por saber que agora sim passo a te conhecer melhor.
A decepção, a desilusão é o que mais me dói, dói mais do que a própria saudade.
Ouvi numa música: “Saudade é aquilo que fica daquilo que não ficou (...)” de Flávio Leandro.
E o que ficou pra mim além de lembranças dos momentos passados foi a certeza das decepções dos momentos futuros.
Não é você que quero pra mim, tentei por muito tempo, te mudar, fui infantil, mas tentei.
Hoje nem sei o que quero pra mim, mas sei o que não quero: Você.
Vou em busca, sofrendo, me curando, e me preparando pro próximo amor.
Coração remendado, sangrando mas se libertando de você.
Como sabemos com 30 dias de gestação dessa nova pessoa que você colocou no mundo, hoje tenho apenas 05 mm de tamanho e vou crescer, formar meu corpo, meus braços para abraçar como nunca abracei ninguém, beijar como se nunca tivesse beijado ninguém.
Amar como se fosse morrer todo dia.
Emoções sempre foram meu forte, de plástico não serve.
O mundo me aguarde, 30 dias já se passaram.
Hoje começo a formar meu corpo.

Pra endossar minhas palavras do poeta Mateus Vinicius de Oliveira Amaral:


RECOMEÇAR

Um desamor todo mundo tem
É como dias ruins
A espera de um dia melhor
Esperança de um novo amor.

A vida não acaba
Com um desamor
Ela recomeça
Com outro amor
Por que?
Amar é preciso
Amar é morre em si
Para renascer em outro
Se tornando um só.

Por que?
Sempre depois da tempestade
As borboletas voltam
Ao jardim de alá
E como um recomeço
Um começo de uma nova vida
A renovação da esperança
É, a certeza que recomeçar 
É preciso, para dias melhores.

Escrito para: Ayla carolina

Pra ler e refletir sobre essa pérola que encontrei no site de Mensagens Espíritas:

AS FORÇAS DO AMANHÃ
"Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda?"
- Paulo (I Coríntios, 5:6)
Ninguém vive só.
Nossa alma é sempre núcleo de influência para os demais.
Nossos atos possuem linguagem positiva.
Nossas palavras atuam à distância.
Achamo-nos magneticamente associados uns aos outros.
Ações e reações caracterizam-nos a marcha.
É preciso saber, portanto, que espécie de forças projetamos naqueles que nos cercam.
Nossa conduta é um livro aberto. Quantos de nossos gestos insignificantes alcançam o
próximo, gerando inesperadas resoluções.
Quantas frases, aparentemente inexpressivas, arrojadas de nossa boca estabelecem
grandes acontecimentos.
Cada dia emitimos sugestões para o bem ou para o mal.
Dirigentes arrastam dirigidos.
Servos inspiram administradores.
Qual é o caminho que a nossa atitude está indicando?
Um pouco de fermento leveda a massa toda. Não dispomos de recursos para analisar a
extensão de nossa influência, mas podemos examinar-lhe a qualidade essencial.
Acautele-te, pois, com o alimento invisível que forneces às vidas que te rodeiam.
Desdobra-se o destino em correntes de fluxo e refluxo. As forças que hoje se exteriorizam
de nossa atividade voltarão ao centro de nossa atividade, amanhã.

Emmanuel/Chico Xavier/Segue-me

13 de mai de 2012

Dia das Mães

Nodestinamente falando em língua matutês, quero aqui destambocar o oco do mundo e gabar pessoas ques estufa meu peito de orgulho.

Sou um Matuto de sorte. Pela família que tenho e pelas amizades que construo todos os dias, que já bastava pra eu me gabar de minha sorte, mais deixa eu mostrar mai um taquinho de como Deus capricha na minha vida: Sou um Homem de muitas Mães.

A Mãe Oficial: Dona Rilda.


Antônia Andrade da Silva, mas que todo mundo só conhece a sua graça como "Rilda".
É a culpada por tudo, 09 meses de sofrimento, e como se não bastasse na hora do desabrochar, tava eu lá sentado. 
Preguiçoso desde nascença. Corre chama Dr. Zé que o caso é desmantelado, mas tudo nos conformes.
Nasce Eu, cuja responsabilidade não é das menores herdando o nome de Meu Pai: Sr. Benízio de Caju, Caminhoneiro dos bons, canhoto, de uma pontaria ímpar, e de uma integridade impecável.

Pois bem Dona Rilda acunhou o nome do meu Pai pra eu levar pro resto da vida, e que responsabilidade viu.

Chega eu, traquino não, se amostra!

Beliscava Azulejo, dava nó em pingo d´água, botava azia em Sorisal, mas tava lá ela dividida entre seu ofício de Professora que não é fácil, e sendo Mãe e Pai, pois Sr. Benízio vivia enchendo o bucho de pista, rodando por esse Brasil de Caboclo, para trazer nosso sustento.

Dei muito trabalho, quebrei muita coisa, mas tava ali Ela com a Paciência do mundo todinho, parece que tou ouvindo: "Mas meu filho!"

Não entendia as negações que ela dava quando eu ia no Supermercado fazer a feira e sempre pedia um brinquedo, não sabia eu que Minha Mãe fazia malabarismos para segurar o dinheiro até o fim do mês.

Fez da tripa coração pra me colocar no Colégio Marista, comprou briga com meus irmãos, mas estufou o peito e disse vai.

Obrigado Mãe pela sua coragem, dedicação, carinho e amor por mim, hoje chegou minha hora de retribuir e farei isso até dando-te minha vida se preciso for.


A Mãe Coadjuvante e minha Irmã mais Velha: Cristiane.



Todo irmão ou irmã mais velha é um pouco Mãe, comigo não seria diferente.

Dona Rilda ao sair de casa para cuidar da lida, assumia Cristiane (irmã mais velha), pra cuidar da nossa vida.

Devo muito ti minha irmã e minha Mãe, quantas vezes não brigamos, nos xingamos? Mas dizem que a gente só agride aquelas pessoas que amamos de verdade.

Aprendi contigo até onde pode ir a dedicação de uma Mãe, vi de perto sua luta e seu amor por seu filho "David", que foi um anjo que Deus mandou pra nós.

Quantas vezes você acordava ao ouvir seu filho: "Mainha me vira aqui na cama que tá doendo." ?
Quantas noites mal dormidas?
Quanto peso você carregou, até mesmo sem poder, devido a sua coluna, mas seu Amor de Mãe superava tudo isso.

E além de toda essa obrigação, você ainda tinha tempo pra cuidar de mim e de todos os meus irmãos.

Confesso,  que você seja braba, uma jararaca, mas na hora da crise é a que chora primeiro, é a que liga, é a que se preocupa comigo e com meus irmãos.

Obrigado Irmã e minha Mãe.

A Mãe por Escolha: Tia Nelinha


Essa é corajosa, porque pegar um Filho dos outros pra terminar de criar, com uma personalidade praticamente feita, não é pra todo mundo.

É pra quem é forte e pra quem Ama de verdade.

Pois é amigos, devo a vida por ter colocado na minha vida essa Mulher Guerreira, Culta, Humana e Conselheira.

É minha amiga e confidente, é exigente confesso, mas duvido que ninguém encontre em seus atos: meia-sola ou gambiarra.

Me ajudou e me ajuda muito, não é a toa que o Destino me trousse pra morar com ela, é porque eu tinha muito a aprender ainda.

É um capricho, um cuidado, uns solavancos de orelha, que ora me confunde: quem é minha Mãe mesmo?

Sempre digo que Dona Neli é mais Mãe do que Tia, ela se mete a besta dizendo que é Tia de seus sobrinhos, mas que nada ela é Mãe mesmo, pare, repare e responda se eu tou mentindo?

Obrigado Tia (Mãe) Neli , por tudo e pode ficar tranquila que pagarei tudo isso com juros e correção, pois se tenho um defeito que detesto e tenho medo é a Ingratidão.

Quero abrir um parêntese aqui e Homenagear uma Pessoa que embora não seja da minha família me trata com se fosse.

Devido ao acontecimentos mundanos passei a chamá-la de Mãe e tenho provas para tal qualificação, ela sabe do que tou falando.

Minha Mãe LÚCIA DE DÉ DE TITÓ.

Obrigado a todas por fazerem parte da minha vida e meu beijo no coração de todas eis um taco do pedaço do que vocês merecem:

Mãe
Tem o sabor de manga madura, sabe aquela manga rosa que fica na ponta da galha, bem encarnada?
Sabor de milho verde, bem docinho, sabe milho batité assado na fogueira de São João?
A fé dos Terços rezados no Sítio, nas noites do mês de maio.
A pureza do amanhecer no Sítio, do cheiro da Terra molhada após uma rápida chuvada.
O amor da galinha que no "choco" não quer de forma alguma largar sua ninhada prestes a quebrar o ovo.
Ou da Vaca que ao parir enfrenta toda força do mundo que se meter a besta e mexer com seu bezerrinho.
A força de uma Prensa de Casa de Farinha que aperta vários sacos massa que seca aos poucos a manissoba.
Toda Poesia do mundo, é pouco pra medir o Amor de uma Mãe.
Nunca sabemos do que ela é capaz, sempre nos surpreende.

Aprendi o que seria o Amor de uma Mãe que ultrapassa a lógica e nunca seremos capaz de entendê-lo, só se um dia nascermos Mãe, pois bem um dia me falaram o seguinte:
"Ao chegar num presídio para visitar um Assassino altamente perigoso, com 10 ou 20 mortes nas costas, sua Mãe olha pra ele e diz: "Esse é meu filhinho".

Pois bem, Mãe é simplesmente Mãe e o resto fica por conta de sua sensibilidade em sentir o Amor em toda sua esfera, e todas suas formas de manifestações.

Feliz Dia das Mães a Dona Rilda, Cristiane, Dona Neli, Nem, Renilda,  Lúcia de Dé de Titó e todas as Mães do Mundo.





1 de mai de 2012

A carência do "NÃO"




Refletindo após alguns acontecidos durante a caminhada senti hoje a necessidade de refletir um pouco sobre uma palavra que nos acompanha durante toda nossa existência: "NÃO"

De quem é a culpa não sei, mas viajando ao fundo do sentido da mesma, em tese vejo que existem vários valores para tal palavra monossílaba que embora "mono" tenha valores e significados "Poli".

Por que será que só conhecemos um único significado de tal palavra?

Antes acreditava que ao ouvir em alto e bom som: N Ã O, pronto! Tava tudo perdido.

Mero engano, o "Não" abre tantas portas quanto o "Sim" e melhor, nos faz forte, nos educa, nos prepara para amar, para encarar a vida como tem que ser encarada.

Segundo minha humilde concepção, uma hipótese para a limitação do Monossílabo em tela seria as sequelas da Ditadura, do Regime Militar que amordaçou, aprisionou e limitou muita gente.
Devido a isso a educação da época para aquele tempo era de privações.

Com a mudança de tempo, a sociedade exigiu uma Educação mais "livre", mas ficou livre demais, esqueceram de limitar a liberdade. 
Como dizia meu Amigo César (Soldado da PM de Limoeiro-PE): "Debréia !!!"
Pois é esqueceram de debrear, foi só pé no acelerador.
Confundiram liberdade com libertinagem e esqueceram de usar outra palavrinha da família do "L" o Limite.

Ai meu amigo a necessidade do "Não" que tanto foi ridicularizado no passado.

Vejamos o que diz o Padre Antonio Vieira que bem analisou os efeitos do "Não":
“Terrível palavra é o não. Não tem direito nem avesso; por qualquer lado que o tomeis, sempre soa e diz o mesmo. Lede-o como quiserdes, será sempre não(...); sempre morde, fere, leva veneno consigo. Mata a esperança; não há corretivo que o modere, nem arte que o abrande, nem lisonja que o adoce. Por mais que confeiteis um ‘não’sempre amarga; por mais que o enfeiteis, sempre é feio; por mais que o doureis, sempre é de ferro.” E conclui: “Tão injuriosa palavra é um ‘não’. Para a necessidade, dura; para a honra, afrontosa, e para o merecimento, insofrível”.


Mas não (olha ele ai de novo) tem jeito, é preciso viver com o Monossílabo.


Pra endossar minhas palavras vejam o que encontrei na Internet, nas palavras do Dr. Raymundo de Lima  - Doutor em Educação pela USP:
"Na vida líquida de hoje, cuja ética é frouxa, podemos facilmente ser vítimas de paixões loucas. Impossível ir direto ao amor sem passar por elas. O caminho é educar as paixões. Mesmo assim, há riscos.


Atenção Pais, Escola e Educadores: Vamos usar o "NÃO", com ele sofremos menos!

  • Teríamos menos jovens drogados que não estão acostumados a entender as negações necessárias da vida;
  • Menos Políticos Corruptos, pois o povo saberia escolher melhor usando o monossílabo;
  • Professores serão melhores entendidos pelos Pais e pela Escola;
  • A palavra de Deus seria melhor utilizada no dia-a-dia;
  • Os valores que atualmente estão escassos teriam seu lugar de volta, pois o homem passaria a ser julgado pelo que faz e não pelo que tem. Pois conheço pessoas tão pobre, mas tão pobre que só tem dinheiro.
  • O Amor seria mais Amor e a Paixão mais racional, pois a renúncia tão necessária em um relacionamento seria em mão dupla e não em mão única.
  • O Diálogo seria mais presente em nossas vidas.
  • Ouvir e falar ao invés de agredir.


E o perdão? Ah o Perdão! 

Tão necessário e tão difícil para nós meros mortais, que nada mais é do que um "NÃO" a coisas que nos fazem ser pequenos.

"As três coisas mais difíceis do mundo são: guardar um segredo, perdoar uma ofensa e aproveitar o tempo." Benjamim Franklin

Mas enfim é vivendo e aprendendo.

Sofrendo e Ganhando com o Sofrimento um tesouro chamado Experiência, ninguém melhor para provar isso do que "Thomas Edson" o inventor da Lâmpada:
Uma experiência nunca é um fracasso, pois sempre vem demonstrar algo. Thomas Edson

Mas se nada disso for compreendido lembre-se do Imortal Irmão Chico Xavier quando disse:

"A Semeadura é Livre, mas a Colheita é Obrigatória."

Um ótimo feriado a todos e muitos "NÃOs" em vossas vidas.