22 de jul de 2011

Mas uma Lição e muitas Perguntas


A incerteza, o risco e o perigo nos rondam todos os dias.

Como disse Arnaldo Jabor em um dos seus preciosos textos:
“No Amor e na Vida não temos Garantias”

Quantos Amores ficaram pra trás procurando o que não perdemos?
Quantas realidades não enxergadas, as benditas “Entrelinhas”?
O Jogo, a Sedução, o Ciúme, o Orgulho, a Vaidade às vezes aparecem com outras caras, camufladas.

Na Equação do Amor qual a dose ideal de Razão e Paixão?

Será que a Lógica tem o direito de opinar sobre os nossos Sentimentos?

Ou será que a porteira chamada Paixão bloqueia o encontro entre a Lógica e o Amor?

Atos não pensados, Precipitações, Imaturidade, quem não usa disto para conquistar algo ou alguém que atire a primeira pedra. Mas que sai caro as conseqüências sai.

O Amor como outras coisas na vida obedece ao ciclo da Mãe Natureza: nasce, cresce e morre.
Pra alguns casos esse Ciclo dura Décadas para acontecer, enquanto que com outro isso acontece freqüentemente.
Por exemplo, ninguém tem maior autoridade para cantar o Amor do que Vinícius de Moraes, e o mesmo conforme Filme de sua Biografia, casou 09 vezes, salvo engano.

A Teimosia aparece para receitar defunto, mas Amor Morto, sempre Morto, se ressuscita é porque não morreu.

Por mais Compaixão, Pena, Solidariedade que se tenha não se resolve com esses ingredientes, o remédio é o Tempo.

Repito: “Amor uma vez Morto, cabou-se.”
É recolher os cacos, limpar a casa, juntar os santinhos, e pé na vida e outro na ilusão.
Bola pra frente.
A Fila anda.

Emoções compradas, Emoções de Plástico só serve para Poesias, Músicas, Filme e etc. Na vida Real: o buraco é mais embaixo.

Vivendo...
Sofrendo...
Apanhando...
Aprendendo...
Mas nunca deixando de Amar.
Sentimentos não foram feitos pra vender, esconder ou negar.

É pra usar e com Força, todo dia e o dia todo.