5 de mar de 2011

A Nudez da nossa Mãe Terra.




Que tal se os nossos políticos se preocupassem um pouco com o êxodo rural e fizessem um trabalho voltado para a assistência rural?

Por que no Agreste ninguém se preocupa com a agricultura? 

Nós de João Alfredo-PE e regiões vizinhas, por que não cobrar de Vereadores, Prefeitos, Deputados que tanto trabalham pela alienação dos nossos conterrâneos? 

Vamos exigir Agrônomos, Veterinários, Zootecnistas e outros profissionais que nos orientem a trabalhar no campo.
Pôr a mão na terra para tirar dela os frutos para nossa subsistência.

Abrimos os Jornais e vemos a briga política por prefeituras e troca de partidos, a mídia expandindo cada vez mais essa política do tempo dos “Coronéis”.


Temos novas gerações, vamos tomar consciência que devemos desenvolver no Nordeste- principalmente no agreste - a Agricultura.
Abrir escolas, adquirir máquinas, parar com essa Agricultura Primitiva.
Fixar cada habitante no seu município motivando a cultura de cada região.
Frutas, legumes, verduras para matar a fome, e não paliativos de doações.
Vamos fazer doações de sementes, máquinas agrícolas, mesmo as mais simples.
Incentivar a população a trabalhar e não receber esmolas alimentando o comodismo.
Não vamos nos conformar com festas, vamos pedir trabalho, orientação de como arranjar o meio mais prático para cultivar.
Que através da terra e do esforço é que temos os nossos alimentos.
O Brasil já fabrica tratores e porque não trazer para o agreste?
Nós pernambucanos ainda vivemos com uma agricultura da idade da pedra em pleno século XXI. Os computadores de um lado, no outro a enxada e as queimadas.
Vamos cada um fazer a sua parte:  incentivar, ensinar e ajudar o outro a ter uma vida mais digna para que possa viver em paz.
Abrir as escolas para plantar verduras, frutas, fazendo a festa de cada colheita.
O Governo em vez de alimentar o comodismo deve incentivar ao trabalho, a plantar, dando sementes, ensinando como cultivar e adquirir máquinas para cada região, principalmente as mais necessitadas.
Se cada um doar junto com a feira um pouco de semente para uma horta seria o primeiro passo para combater o êxodo rural.

Ninguém quer mais plantar nada.
Vamos acabar com essa imensidão de terras nuas.

03 de março de 2011.

Neli Andrade de Sousa – Pedagoga
neliasandrades@hotmail.com
Iputinga – Recife - PE