13 de jul de 2010

Desmistificando a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e

Começou em 01 de julho de 2010 a implatação da Nota Fiscal Eletrônica para vários segmentos, dentre eles a Indústria de Móveis com Predominância de Madeira, carro chefe de nossa cidade(João Alfredo-PE).



Pois bem, passados 12 dias após um certo atraso do SERASA que emite o Certificado Digital (documento que legitima a Nota Fiscal Eletrônica) começamos a emitir as NF-es e continuamos vivo.

Pois é fizeram um "Bicho de 07 cabeças" tão grande que cheguei a pensar:
Será que existirá vida após a Nota Fiscal Eletrônica?

Agora sei, existe vida sim.

Segundo um palestrante que no momento agora não lembro seu nome falou o seguinte:
"... ao se deparar com uma mudança ou conhecimento novo e seu cérebro bloquear, não se assuste pois é um sinal de que seu cérebro está acordado e pronto para os novos conhecimentos..."

Hoje estamos aprendendo aos poucos e confesso a grosso modo não existe muita diferença entre emitir uma Nota Fiscal de Talão para uma Nota Fiscal Eletrônica, respeitada as devidas proporções.

Vale salientar que a única despesa do Contribuínte é com a solicitação do CERTIFICADO DIGITAL que o site http://www.certisign.com.br/produtos-e-servicos/certificados-digitais/nf-e tem várias opções de certificados dependendo do tipo de NF que será emitida, o modelo de NF A1 por exemplo é de R$ 250,00.

Quanto ao programa: Emissor de NF-e é totalmente gratuíto e de fácil manuseio, cuidado pra não ser vítima dos gatunos.
Segue o link para baixar gratuitamente o Emissor de Nota Fiscal Eletrônica:

Olhando detalhadamente todo procedimento para a emissão da NF-e é conhecido já pela maioria das Micro Empresas.

Agora sim, a NF-e é muito mais detalhista e criteriosa, mas observem que não existe Dificuldade e sim Atenção e Detalhes no vocabulário da NF-e.

Por outro lado é muito grande a gama de Benefícios criados pela NF-e segundo o site http://www.nfe.fazenda.gov.br/ vejamos a seguir:

Benefícios para o Contribuinte Vendedor (Emissor da NF-e)

Redução de custos de impressão;
Redução de custos de aquisição de papel;
Redução de custos de envio do documento fiscal;
Redução de custos de armazenagem de documentos fiscais;
Simplificação de obrigações acessórias, como dispensa de AIDF;
Redução de tempo de parada de caminhões em Postos Fiscais de Fronteira;
Incentivo a uso de relacionamentos eletrônicos com clientes (B2B);


Benefícios para o Contribuinte Comprador (Receptor da NF-e)
Eliminação de digitação de notas fiscais na recepção de mercadorias;
Planejamento de logística de entrega pela recepção antecipada da informação da NF-e;
Redução de erros de escrituração devido a erros de digitação de notas fiscais;
Incentivo ao uso de relacionamentos eletrônicos com fornecedores (B2B);

Benefícios para a Sociedade
Redução do consumo de papel, com impacto positivo no meio ambiente;
Incentivo ao comércio eletrônico e ao uso de novas tecnologias;
Padronização dos relacionamentos eletrônicos entre empresas;
Surgimento de oportunidades de negócios e empregos na prestação de serviços ligados à Nota Fiscal Eletrônica.


Benefícios para as Administrações Tributárias
Aumento na confiabilidade da Nota Fiscal;
Melhoria no processo de controle fiscal, possibilitando um melhor intercâmbio e compartilhamento de informações entre os fiscos;
Redução de custos no processo de controle das notas fiscais capturadas pela fiscalização de mercadorias em trânsito;
Diminuição da sonegação e aumento da arrecadação;
Suporte aos projetos de escrituração eletrônica contábil e fiscal da Secretaria da RFB (Sistema Público de Escrituração Digital – SPED).


Vamos em frente pois já demos o primeiro ponta pé para o mundo do desenvolvimento dos tributos.

O que virá agora?

E não se assustem se vier muito mais rápido do que a NF-e.

Senhores Empresários, Contadores e Demais componentes do segmento, sejam bem vindo a ERA DO CONHECIMENTO E DA TECNOLOGIA.