1 de set. de 2010

Reunião discute Segurança Pública em João Alfredo

Através de uma iniciativa do Juíz de Direito de nossa Comarca, Dr Hailton Gonçalves e da Representante do Ministério Público, Dra. Carla foi realizado no último dia 31/08/10 às 19h no Clube Municipal de João Alfredo uma Reunião com objetivo de debater sobre os indíces absurdos que nossa Cidade apresenta sobre a Violência.

Estiveram presente:
  • Dr. Hailton Gonçalves - Juíz de Direito;
  • Dra. Carla - Promotora de Justiça;
  • Dr. Paulo Godim - Delegado de Polícia;
  • Ten Cel. Vladimir - Comandante do 22º BPM;
  • Wilson França - Presidente da Câmara de Vereadores de João Alfredo;
  • Gabriel Moura - Presidente do COMDICA;
  • Eliatha Cordeiro - Presidente da Conselho da Paz;
  • Pe. Severino - Pároco de João Alfredo;
  • Domício Paz - Representante do Centro Espírita Luz Divina;
  • Pastores da Diversas Igrejas;
  • Diretoras de Escolas;
  • Professores;
  • Comerciantes;
  • Industriários;

Enfim a Sociedade Joãoalfredense representada.

O tal encontro foi divido em 03 partes:
  1. O Dr. Hailton - Juiz fez a apresentação do Encontro e explicou a razão daquele momento;
  2. Dra. Carla - Promotora de Justiça - fez uma "prestação de contas";
  3. Recepção de Sugestões da Sociedade.

Ouvimos do Dr Hailton números preocupantes sobre a violência em João Alfredo, em Carpina até o dia 31/08/10 foram constatados salvo engano 13 homícidios até durante este ano, Surubim e Limoeiro respeitando as devidas proporções apresentaram índices menores que João Alfredo que até o presente momento registrou-se 12 (doze) homicídios.

Segundo o Comandante do 22º Batalhão da Polícia Militar - Ten Cel. Vladimir - João Alfredo segundo o projeto Pacto Pela Vida do Governo do Estado está no que eles chamam de "Ponto Quente", de 2009 a 2010 houve um aumento de 500% do número de homicídios.

Cidades como Machados, durante o ano de 2009 e até o presente momento não houve nenhum homicídio.
Ainda segundo o Ten. Cel Vladimir, o Pacto Pela Vida é um Projeto que trabalha com metas de redução de estatísticas, tem-se reuniões semanais entre a Polícia e mensais com o Governo do Estado, de acordo com o desempenho de cada Comandante, havendo a necessidade é feito remanejamento dos mesmos.

Tanto o Ten. Cel Valdimir, quanto o Dr. Paulo Gondim - Delegado de Polícia Civil de João Alfredo, e a Dra. Carla - Promotora de Justiça, todos chamaram atenção para um problema latente em nossa Cidade: O Anonimato, ou melhor a Omissão de informações e registro dos Crimes.


É preciso que a Sociedade faça sua parte e denuncie, registre Boletins de Ocorrências - "BO", quando acontecerem furtos, roubos, homicídios e etc. Também é importante que seja fornecido informações que possam ajudar a Polícia no seu trabalho.
Segundo a Promotora de Justiça - Dra. Carla - a falta de Testemunhas resulta num grande número de absolvições dos homicidas em Juri popular.




Sugestões foram apresentadas:
  • Aumento de Efetivo;
  • Criação de Comitiva para solicitar tal aumento;
  • Evitar que Adolescente frequente festas sem acompanhantes;
  • Palestras sobre Drogas, Violências e outros temas nas Escolas;
  • Rondas nas principais áreas violentas de nossa cidade, inclusive na Zona Rural;
  • Construção de uma Companhia ou Destacamento para a Polícia Militar de Pernambuco;
E por falar nisso o Vereador Zé Martins relatou que em 1997 o então Governador Miguel Arraes de Alencar desapropiou um Terreno em João Alfredo que segundo o Vereador, fica entre o Lot. do Ex Prefeito Sebastião Mendes e a propriedade do Sr. Biu Vicente.

Tal revelação foi o bastante para que uma investigação seja feita e entregue o Terreno ao seu verdadeiro Dono, que é a Polícia Militar de Pernambuco.

Fui de grande importância tal reunião e fica aqui a esperança que encontro como este seja constante, afinal é responsabilidade de todos nós a Segurança de nosso Município.
Vivemos numa Gerência de Crise como falou bem a Dra Carla, e não é por isso que seremos irresponsáveis e omissos ao ponto de deixar que o Crime tome conta de nossas casas e nossa vida.

Adiante Joãoalfredenses, façamos valer os versos do Hino da nossa "Cidade Feliz" que diz:

"(...)Povo Forte, Valente e Incansável
Sangue Quente nas veias a correr
Tens na luta um sonho imensurável
João Alfredo teu lema é Vencer(..)"

3 comentários:

  1. Infelizmente em nossa cidade as providências são tomadas depois do ocorrido. Não existe um trabalho de prevenção. É público e notório que a polícia militar é conivende com muita coisa. As várias casas de jogos de azar pagam propina semanalmente, os filhos dos comerciantes fortes da cidade pintam e bordam pois também usam do mesmo artifício, sem contar que são eles os financiadores do tráfico.

    ResponderExcluir
  2. Ana Lígia Ferreira Cavalcanti1 de setembro de 2010 12:54

    Muito bom saber que João Alfredo está se preocupando com a violência que toma conta do nosso País e dos nossos Jovens... principal meio da violência... pois os nossos jovens, hoje, não se preocupam "com o que seremos amanhã" e se entregam as drogas como um caminho seguro, e sabemos que de seguro não tem nada e sim dois caminhos, um que leva para cadeia e outro que leva para o cemitério.
    Acho que devemos nos voltar e rever de como estamos fazendo educação, pois educar não é só ensinar a ler e escrever, educar é mostrar um rumo... um caminho a ser seguido. Devemos nos empenhar em prender a atenção dos nossos jovens através de ações sociais que atraiam para o bem da comunidade. EX: Jogos, campeonatos, cinemas, teatros. Coisa que já tivemos em João Alfredo em décadas atrás e que chamávamos de atrasada, você lembra do cinema de seu Miguel? e o Cine teatro de Padre Jonas? e os campeonatos quentes de jogos escolares, realizados pelas escolas e colégios de João Alfredo... que saudade... heim! Vilma Santos, Dimas Santos. Que saudade dos campeonatos de colégio contra colégio, de ruas contra ruas... isso sim, nos ocupava e não nos deixava um tempinho sequer pra pensar em drogas ou assassinatos.
    É incrível... o homem crescer com o progresso e não crescer como pessoa... como se explica???
    Lígia Cavalcanti
    JoãoAlfredense de coração.

    ResponderExcluir
  3. Duy,

    Antigamente o maior mérito das cidades de interior era a qualidade de vida. Dormir de porta aberta, andar sozinho à noite, todo mundo conhecer todo mundo e por aí vai !!!

    O problema das drogas e violência está se alastrando nos interiores, justamento pelos motivos listados acima: silêncio e muita extensão geográfica para poucos policiais. Fora a tolerância acima do normal que a polícia tem, porque já que todo mundo conhece todo mundo, sempre tem um comerciante, político, padre, gerente de banco pedindo para liberar algo ou afrouxar com alguém. Se um bêbado pertuba na capital, dorme no xadrez. No interior a viatura deixa em casa porque é filho de fulano. Das pequenas concessões partem as grandes. Tem que mapear onde está ocorrendo os homicídios e colocar nesses lugares o braço forte da lei, doa a quem doer.

    ResponderExcluir